Conheça NOSSOS CURSOS:

30

abr 18

O que você precisa saber para conseguir uma recolocação profissional

Publicado em: 30 de Abril de 2018. Atualizado em: 30 de Abril de 2018 - 11:27:00.

No Brasil, temos ainda uma elevada taxa de pessoas buscando recolocação profissional. Essa realidade é um dos efeitos da crise econômica, que chegou ao ápice em 2015.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 1 em cada 5 brasileiros continua desempregado, mesmo com o mercado apresentando sinais positivos.

A pergunta a ser feita é: até que ponto a baixa qualificação profissional média do brasileiro também não acaba contribuindo para cenários como esse?

Para te ajudar a responder essa pergunta, conseguir uma recolocação profissional e entender como um curso técnico pode ajudar, criamos este artigo. Leia até o fim:

Prepare um bom currículo

O currículo ainda é o fator mais importante na busca por recolocação profissional. É ele o responsável por despertar a curiosidade do empregador, a ponto de ele te chamar para participar de algum processo seletivo ou bate papo.

Antigo, mas usual, o currículo é primeira impressão que as pessoas vão ter a seu respeito. Por isso, separe o tempo que for necessário para se certificar de que não haja erros ortográficos e que o seu currículo esteja perfeitamente claro.

Um bom currículo tem, tradicionalmente, a seguinte estrutura:

  • Dados pessoais

  • Objetivo

  • Formação acadêmica

  • Experiência profissional

  • Idiomas

  • Cursos de informática

  • Outros cursos

Priorize a sinceridade para produzir seu currículo e se atenha à formatação de uma forma inteligente. Garanta que as suas informações estejam distribuídas com organização e clareza.

Faça networking

Saber se comunicar é imprescindível para quem quer construir uma carreira. Principalmente para conseguir bons contatos que podem te render indicações futuras.

A palavra network, em inglês, significa “rede de contatos”. Isto é, designa as conexões que você estabelece com outras pessoas, neste caso, com profissionais da sua área.

O networking serve como uma ferramenta de marketing para você. Desde que seja sincero e recíproco, ele pode fazer com que pessoas inseridas no mercado de trabalho vejam em você um bom profissional para ser indicado em alguma oportunidade que surja.

As redes sociais facilitam bastante esse processo, pois aproximam as pessoas, mesmo que estejam, literalmente, separadas por um oceano de distância.

Agora, se você tem dúvidas sobre como pode construir um networking fora das redes sociais, aqui vai uma dica: tire proveito das relações que você já tem com ex-colegas de trabalho.

Ou mesmo de pessoas que frequentaram cursos ou faculdade junto com você. Aproxime-se dessas pessoas, seja gentil. Crie oportunidades para que possam discutir assuntos pelos quais vocês ambos se interessam, sempre falando sobre o mercado de trabalho.

Prepare-se para as entrevistas

Considere-se vitorioso quando chegar a essa etapa! Significa que a sua apresentação por meio do currículo — ou o cadastro das suas informações no banco de dados de uma empresa — foi boa o suficiente para criar o interesse de te conhecer pessoalmente.

A entrevista é a sua oportunidade de mostrar o quão interessado na vaga você está e o quanto suas habilidades podem contribuir para aquela organização. Não vá despreparado. Pesquise sobre a empresa antes do momento da entrevista.

Em uma rápida busca na internet, você consegue ter acesso ao site e às redes sociais daquele empreendimento. Lembre-se que você pode tirar informações de qualquer citação sobre ela.

Descubra a história da empresa, o produto ou serviço que ela comercializa, os valores e a missão. Demonstre que você teve interesse de conhecer mais sobre a organização em que pretende trabalhar.

Se conseguir achar pontos em comum entre vocês, não perca a oportunidade de citá-los durante entrevista. Lembre-se, também, de algumas atitudes simples que contam muito para o entrevistador:

  • Não chegar atrasado

  • Aparentar estar descansado

  • Ser agradável sem perder a formalidade    

  • Olhar diretamente nos olhos

  • Manter a postura ereta

  • Usar roupas limpas e bem passadas

  • Ter o hálito agradável

  • Ouvir com atenção

  • Falar com firmeza

Considere os empregos temporários

Como dissemos, o mercado tende a melhorar, mas ainda está instável. As empresas estão inseguras em contratar um funcionário e, alguns meses depois, não conseguir mantê-lo devido às más condições financeiras.

Por essa razão, todos os dias cresce o número de vagas para empregos temporários. O trabalho temporário é regido pela Lei nº 6.019 e se define como a prestação de serviço a uma empresa para atender à necessidade passageira de substituição de seu pessoal regular.

Normalmente, um emprego temporário tem 3 meses de duração, mas pode ser prorrogado, de acordo com as novas atualizações da CLT.

Caso a empresa entenda que, de fato, vai precisar abrir uma vaga efetiva, com certeza, o primeiro na lista de contratação será o colaborador que aceitou o emprego temporário e desempenhou um bom trabalho.

Qualifique-se profissionalmente

É provável que, quando você esteve empregado, não pôde se qualificar devido à falta de tempo. Agora, você tem tempo, mas não tem como arcar com os custos para realização de um curso profissionalizante.

Essa situação é comum, mas não é impossível de ser contornada. Os cursos à distância podem te ajudar a resolver essa questão.

Normalmente, essa modalidade de curso é mais barata do que os presenciais e, ao contrário do que algumas pessoas pensam, não perdem em qualidade por causa da distância.

Na hora de escolher qual o curso é mais indicado para se fazer, a dica é analisar o mercado e perceber qual será a necessidade dos contratantes daqui um tempo. Dentre estas, selecione aquelas cuja área mais se aproxima das suas preferências pessoais. Assim, você investe no aprimoramento em uma área para a qual já demonstra certa proficiência.

Uma pesquisa realizada pela Catho, um famoso site de buscas de empregos no Brasil, mostrou que a especialização pode aumentar em até 30% o salário de um profissional.

Se não souber por onde começar, a sugestão é aprender um novo idioma ou, quem sabe, se dedicar a conseguir seu certificado de domínio naquela língua que você abandonou há alguns anos.

Considere mudar de profissão

Em uma entrevista ao Portal de Notícias do G1, Erik Penna, consultor e palestrante motivacional, considerou que mudar de profissão pode ser uma alternativa para driblar o desemprego e descobrir uma nova vocação.

Penna acredita que um curso profissionalizante é uma boa opção, pois ele permite a identificação, em um curto período de tempo e por um baixo investimento, do seu interesse e desempenho na nova área escolhida.

É claro que essa dica se encaixa muito mais às pessoas que já se viam insatisfeitas com o trabalho que realizavam antes de ficarem desempregadas.

Se você ama o que sabe fazer e a profissão que sempre desempenhou, então, apenas se especialize e busque aprimorar seus conhecimentos na área. Invista em você mesmo e se destaque enquanto profissional. Dedique-se a ser o melhor naquilo que você faz.

Esperamos que estas dicas sejam úteis para que você consiga a sua tão sonhada recolocação profissional. Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário ou entre em contato com a CECON. Boa sorte!