Conheça NOSSOS CURSOS:

17

jun 18

4 razões para você fazer um curso técnico em segurança do trabalho

Podemos iniciar esse artigo te deixando empolgado com as várias possibilidades de atuação de um técnico em segurança do trabalho. Mas, optamos por fazer um passo a passo bem detalhado sobre como se tornar um profissional dessa área e o porquê você deve fazer isso.

Aqui, vamos citar as principais razões para investir na formação técnica em segurança do trabalho, o que você aprende no curso e, claro, as médias salariais de cada região.

Já adianto que, em uma pesquisa divulgada pela globo.com afirma que a segurança do trabalho desponta como mercado em expansão e praticamente imune à crise. Ainda, completa que o setor tem boas oportunidades e salários atraentes, segundo os especialistas.

Para saber mais basta ler o texto completo. Acompanhe:

1 . Variedade na possibilidade de atuação

Um das principais atribuições de um técnico em segurança do trabalho - TST é garantir que a preservação física dos colaboradores de uma empresa, construção ou instalação se mantenha sempre em dia.

É papel desse profissional utilizar-se métodos e técnicas de identificação, avaliação e medidas de controle de riscos ambientais de acordo com normas regulamentadoras e princípios de higiene e saúde do trabalho.

A orientação do uso do EPI (Equipamento de Proteção Individual) e EPC (Equipamento de Proteção Coletiva) também é feita pelo técnico em segurança do trabalho.

As ações educativas que acontecem nas empresas, palestras e demais reuniões de conscientização sobre os cuidados com a segurança no ambiente de trabalho são outras funções que também podem ser executadas pelo TST.

Muitos profissionais dessa área, justamente por possuírem total capacidade de conscientização do outro sobre a importância da segurança em primeiro lugar  durante as atividades trabalhistas, enveredam pelo caminho da consultoria.

Dessa forma, o técnico de segurança pode ser o responsável por implantar o PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional) e o PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais) nas companhias.

Uma vez que, cada um desses programas são de cumprimento obrigatório nas empresas, a necessidade do auxílio direto de um técnico em segurança do trabalho dentro das organizações se torna ainda maior.

Notou como a variedade de possibilidades de atuação na área é grande? Ela parece ainda maior quando vemos a grade tradicional deste curso técnico em específico. Veja:

2 . Diversidade de contéudo a ser apreendido

Podendo ser dividido em 3 módulos, a maioria dos cursos tem duração de 18 meses com as respectivas temáticas: proteção e prevenção, educação para a segurança e gestão para segurança.

Entre as disciplinas de maior destaque nesses módulos podemos encontrar as seguintes:

  • Legislação e Normas Técnicas

  • Medicina do Trabalho

  • Higiene do Trabalho

  • Sistema de Gestão Ambiental

  • Direito Previdenciário e Acidentes

  • Atendimento a Emergência em Sistema de Risco

  • Segurança na Construção Civil

Percebeu como o curso técnico em segurança no trabalho tem as mais diferentes vertentes, mas todas com a finalidade trabalhista? Da Medicina ao Direito, de fato, um dos cursos mais completos disponíveis no mercado.

3 . Mercado de trabalho em alta, independente da crise

Segundo um dos maiores sites de anúncio de vagas de emprego, a Catho, a média salarial de um técnico em segurança do trabalho no Brasil é de R$2.645,47.

Contudo, realizamos uma rápida pesquisa sobre as vagas mais recentes anunciadas e, algumas ofertas alcançam a casa dos R$5 mil.

Segundo o mesmo site, para surpresa da maioria, o setor que mais contrata esse tipo de profissional é o de concessionárias/auto peças. O que, mais uma vez, comprova o quão grande e diversificada é a demanda por TST no país.

As gráficas e editoras, empresas de materiais de construção e petroquímicas são, seguidamente, as organizações que mais anunciam vagas à procura de técnicos em segurança do trabalho.

O primeiro emprego depois de formado pode ser o de auxiliar técnico em segurança do trabalho, seguido do técnico dessa mesma área e, após certo tempo de experiência, supervisor de segurança do trabalho.

4 . Média salarial em constante crescimento

De acordo com o site Guia da Carreira, que orienta jovens e adultos que estão à procura de recolocação profissional ou de se inserirem pela primeira vez no  mercado de trabalho, a média salarial de Segurança do Trabalho nos quatro principais setores econômicos do Brasil é:

Indústria

  • Mínimo: R$ 2.772
  • Média salarial: R$ 4.224
  • Máximo: R$ 7.973

Construção Civil

  • Mínimo: R$ 2.808
  • Média salarial: R$ 4.106
  • Máximo: R$ 6.759

Comércio

  • Mínimo: R$ 2.908
  • Média salarial: R$ 3.580
  • Máximo: R$ 5.466

Serviços

  • Mínimo: R$ 2.794
  • Média salarial: R$ 3.225
  • Máximo: R$ 6.470

Para que não restem dúvidas sobre a profissão de um TST e sua carreira, disponibilizamos o "Guia do curso Técnico em Segurança do Trabalho”, para download. Você pode baixá-lo gratuitamente clicando aqui e conhecer outros motivos para se tornar logo um profissional da área.